PF investiga contratação de empresa fantasma para serviço de educação na Bahia

Uma operação da Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União (CGU) cumpre 12 mandados de busca e apreensão nesta quinta-feira (11), no município de Santaluz, a cerca de 275 km de Salvador.

Foto: SBT News

Foto: SBT News

Uma operação da Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União (CGU) cumpre 12 mandados de busca e apreensão nesta quinta-feira (11), no município de Santaluz, a cerca de 275 km de Salvador. As investigações apontam irregularidades na contratação de uma empresa para prestação de serviços de transporte escolar na cidade, no valor de mais de R$ 8 milhões.

Segundo a PF, a prefeitura abriu um pregão eletrônico, em 2022, para a empresa realizar 89 rotas na cidade. No entanto, a prestadora de serviço escolhida não possui funcionário registrado no quadro e é proprietária de apenas cinco veículos, o que seria insuficiente para a execução do contrato.

Foi apurado também que, a empresa vencedora da licitação apresentou a proposta com maior preço no pregão eletrônico, mas acabou sendo escolhida por conta da inabilitação das outras nove empresas que apresentaram preços menores, resultando em um superfaturamento na ordem de aproximadamente R$ 3 milhões.

Além disso, algumas das empresas inabilitadas no concurso receberam pagamento do grupo empresarial vencedor logo após serem excluídas da licitação.

Além de Santaluz, os mandados foram cumpridos ainda nas cidades baianas de Conceição do Coité, Capim Grosso, Itiúba, Senhor do Bonfim e Várzea da Roça.

De acordo com a Polícia Federal, os investigados irão responder pelos crimes de responsabilidade de prefeito, fraude à licitação, além de corrupção ativa e passiva e lavagem de capitais.

A CNN procurou os alvos da investigação e aguarda retorno.